quarta, 13 de dezembro de 2017 | TRANSPARÊNCIA FISCAL | E-SIC |
11/03/2014

Comer muita proteína animal na meia-idade 'faz tão mal quanto fumar'


Pesquisadores concluirão após rastrear cerca de 6.400 americanos ao longo de 18 anos. "Fornecemos evidências convincentes de que uma dieta rica em proteínas - especialmente as derivados de animais - é quase tão ruim para a saúde quanto fumar...




Pessoas de meia-idade que comem muita carne, ovos e laticínios tem um risco de ter câncer semelhante ao de quem fuma 20 cigarros por dia. Segundo estudo publicado na revista científica "Cell Metabolism", quem segue uma dieta rica em proteína de origem animal tem uma propensão quatro vezes maior de desenvolver tumores malignos em comparação com quem come pouco desses itens. 

Pesquisadores chegaram a essa conclusão após rastrear cerca de 6.400 americanos ao longo de 18 anos. "Fornecemos evidências convincentes de que uma dieta rica em proteínas - especialmente as derivados de animais - é quase tão ruim para a saúde quanto fumar", disse Valter Longo, da Universidade do Sul da Califórnia, "The Daily Telegraph".

Uma dieta de alto teor de proteína foi definida no estudo como aquela em que pelo menos 20% das calorias diárias provém desse nutriente. Os pesquisadores recomendam limitar o consumo para 0,8 g de proteína por quilo de peso corporal por dia durante a meia-idade - para uma pessoa de 70 kg, seria aproximadamente 56 g ao dia, cerca de dois bifes de peito de frango ou um bife de carne de vaca. 

Eles também sugerem que as pessoas troquem carnes, ovos e laticínios por peixe, feijões e lentilhas, que também são ricos em proteínas. 

Segundo Longo, o excesso de proteínas animais age em um hormônio chamado IGF1, que é responsável pelo crescimento, mas também acelera o envelhecimento e alimenta os tumores. 

No entanto, os pesquisadores também descobriram que a proteína é importante para os idosos - evita a fragilidade e ajuda a manter o peso saudável, uma vez que os mais velhos possuem menos IGF1.

Após os 65 anos, aqueles que consumiam boas quantidades do nutriente tinham menos chances de morrer, de acordo com o estudo. Para indivíduos dessa faixa etária, a recomendação é que as proteínas representem, em média, 15% das calorias diárias.

Alguns especialistas britânicos criticaram a ligação que o estudo fez com o hábito de fumar, já que proteínas são importantes para o organismo e o cigarro não oferece qualquer benefício.

O professor Tim Key, do Cancer Research, no Reino Unido, ressaltou, ainda, que são necessários mais estudos para afirmar com precisão se a dieta rica em proteínas aumenta o risco de pessoas de meia-idade morrerem de câncer. 

+ Ciência e Saúde




© Prefeitura Municipal de Zabelê/PB 2017, Todos os direitos reservados